terça-feira, 18 de novembro de 2014

Corrimentos,Tratamento natural a base de Ervas Medicinais

Toda a mulher apresenta uma umidade natural produzida pela mucosa da vagina. Essa secreção, aliás, é importante para garantir a lubrificação do órgão durante o sexo e protegê-lo de infecções.

"O corrimento apresenta condições ideais para a proliferação de uma bactéria responsável por manter
o ph da região mais ácido, dificultando, assim, a proliferação de germes e bactérias que podem prejudicar o organismo".
Ter corrimento é normal

A quantidade com a qual essa secreção é produzida varia de pessoa para pessoa e depende de fatores hormonais.

Antes da menstruação, por exemplo, é normal ter um corrimento intensificado graças ao aumento dos níveis de progesterona. Já na menopausa, quando há uma menor produção deste, a secreção vaginal diminui.
Quando algo está errado

Para que seja considerada normal, a secreção deve ser parecida com a clara do ovo, ou seja, translúcida e viscosa. "Corrimentos de coloração branca opaca ou em outros tons muito fortes, como amarelo, verde ou marrom, podem estar relacionados a uma infecção".

Em muitos casos, a secreção anormal vem acompanhada de outros sintomas, como dor durante a relação sexual, corrimento com cheiro forte e coceira nos genitais.
Quais são as causas?

Normalmente, as infecções surgem por falta de higiene íntima ou durante o ato sexual desprotegido. "É possível ainda também infectar-se toda vez que estivermos com imunidade baixa".
Dicas para minimizá-lo

1) Prefira as calcinhas de algodão.
2) Procure lavar as calcinhas com sabão neutro (côco)
3) Use o nosso kit-Saúde da mulher contra inflamações,odor,coceira vaginal e mancha escura na
virilha.
Consulte o seu Médico
                                           

Mioma uterino....

Mioma uterino, também chamado de leiomioma (leio=liso + mio = músculo + oma = tumor benigno), é um tumor
benigno do útero. É um tumor sólido de tecido muscular e caráter benigno que acomete as mulheres principalmente na fase reprodutiva da vida, isto é, na fase em que menstruam e podem engravidar.
 É também nessa fase que os sintomas se manifestam, embora haja casos absolutamente assintomáticos. Existe uma incidência muito grande de mulheres assintomáticas, que descobrem ser portadoras de mioma uterino quando procuram o ginecologista para uma consulta de rotina.

O útero é um órgão majoritariamente composto por músculos. O mioma é um crescimento anormal de uma área desta musculatura, formando geralmente uma tumoração com formato arrendondado. O mioma é composto exatamente pelo mesmo tecido do útero, sendo apenas uma lesão mais densa. Existem quatro tipos de mioma, classificados de acordo com sua localização no útero. Acompanhe as explicações com a ilustração abaixo:

Mioma Submucoso

 localizados no interior do útero, logo abaixo do miométrio, a camada que recobre a parede interior do útero. Podem causar hemorragia e impedir a implantação do embrião localiza-se mais próximo da cavidade uterina, sendo o tumor ginecológico mais frequentemente diagnosticado na mulher. Apresenta toda ou alguma parte da lesão se desenvolvendo para dentro da cavidade uterina. Sangramento uterino anormal e dor pélvica são os sintomas mais comuns, principalmente nas lesões de localização submucosa. Infertilidade e abortamento de repetição podem também ser causados por este tipo de lesão. O mioma submucoso se estende para dentro da cavidade uterina, podendo, quando grande, ocupar boa parte da mesma.

Mioma subseroso

Está localizado na porção mais externa da parede uterina, chamada de serosa. São tumores que crescem logo abaixo da serosa, a camada que recobre a parte externa no útero. Esse tipo de mioma não costuma apresentar sintomas, exceto quando atinge grandes volumes, podendo causar compressão dos órgãos adjacentes.  Miomas subserosos dão ao útero uma aparência nodular.

Mioma pediculado

São tumores subserosos que crescem e acabam se destacando do útero e permanece ligado ao útero através de um pedículo, daí o nome. O mioma pediculado pode crescer para dentro da cavidade uterina ou para fora do útero.

Mioma intramural

Nasce e permanece na parede uterina. Em geral, os sintomas aparecem quando o tumor aumenta de tamanho e atinge a cavidade uterina causando sangramentos ou compressão dos órgãos adjacentes, como bexiga e intestino. Além disso, o mioma intramural pode distorcer a cavidade uterina causando a infertilidade. Quando o mioma intramural cresce demais, ele pode atingir tanto a cavidade uterina quanto a parte mais externa do útero. Neste caso, eles podem ser chamados de mioma transmural.

Quais são as causas?

Não se sabe exatamente por que os miomas aparecem. Sabe-se que não está envolvida uma causa única. Teoricamente, trata-se de um tumor estrógeno-dependente, mas não é só o estrógeno que funciona como fator de crescimento e desenvolvimento deles. Hoje se sabe que parcela razoável de miomas uterinos é sensível à ação da progesterona, que não faz muito tempo era a medicação eleita para o tratamento dessa patologia. Fatores como a vascularização da área do útero em que se desenvolve o mioma, mutações genéticas locais e certos fatores de crescimento também pesam na formação desses tumores. Além disso, a incidência de miomas uterinos é comprovadamente maior nas mulheres negras do que nas brancas. Portanto, não existe uma causa única, existem inúmeras teorias que continuam sendo estudadas.
O mioma é uma doença de mulheres em idade reprodutiva e apresenta relação com os hormônios estrogênio e progesterona. Os miomas não surgem antes da puberdade e são incomuns em adolescentes.  Ele aparece por causas genéticas e seu crescimento se dá, quase sempre, por ação do estrógeno, hormônio produzido no ovário da mulher em idade reprodutiva. Por isso, quando a mulher entra na menopausa, é comum que os miomas diminuam ou desapareçam, pois não há mais produção de estrógeno. Os sintomas são cólicas fortes, menstruação prolongada ou sangramento irregular. Alguns miomas são apresentam muitos sintomas. Nestes casos, pode-se, inclusive, não realizar qualquer tratamento. Existem tumores tão pequenos que passam despercebidos durante anos. Porém, em outros casos, estes podem crescer tanto que chegam até mesmo a pesar quilos.

Quais são os fatores de risco?

Se as causas ainda não foram elucidadas, alguns fatores de risco para os miomas já são bem conhecidos:
  • História familiar: mulheres cujas mães ou irmãs tenham miomas, apresentam maior risco de também tê-los.
  • Raça negra: O mioma ocorre em todas as etnias, mas as mulheres afrodescendentes apresentam uma maior incidência – cerca de três vezes mais. Além disso, neste grupo, os miomas costumam surgir mais cedo, ao redor dos 20 anos de idade. A razão para isso ainda não é conhecida.
  • Gravidez: mulheres que nunca engravidaram ou que tiverem sua primeira gravidez tarde apresentam maior risco de desenvolverem miomas.
  • Idade da menarca: quanto mais cedo for a idade da primeira menstruação, maior o risco de surgirem miomas.
  • Anticoncepcionais: a pilula costuma diminuir o risco de mioma e é, inclusive, uma das opções de tratamento: Todavia, quando meninas começam a tomá-la muito precocemente, antes dos 16 anos, parece haver um aumento no risco.
  • Bebidas alcoólicas: o consumo de bebidas, particularmente cerveja, aumenta o risco de miomas.
  • Hipertensão: mulheres hipertensas apresentam maior risco de terem miomas.
  • Após os 50 anos a ocorrência de miomas diminui em função da menopausa, quando então, os nódulos regridem pela falta de estímulo hormonal.

Como diagnosticar um mioma uterino?

O diagnóstico do mioma é possível inicialmente pela história da paciente e pelo exame físico realizado pelo ginecologista. Durante o exame, pode ser sentida uma massa de localização sugestiva de ser uterina. O principal exame utilizado é o ultrassom, que pode demonstrar a presença do mioma e também a sua localização. Outro exame utilizado é a ressonância magnética.

Independente do tipo de mioma, ele pode virar um câncer?

Segundo o Dr. Nilo Bozzini, médico, professor livre-docente de Ginecologia na Faculdade de Medicina da Universidade São Paulo e responsável pelo Ambulatório de Miomas do Hospital das Clínicas, já está na hora de acabar com esse terrorismo de que as mulheres com mioma não conseguirão engravidar ou terão provavelmente uma doença maligna. É bom repetir sempre que mioma nasce benigno e morre benigno. Além disso, há técnicas que podem assegurar bons resultados no tratamento dos miomas com o mínimo de agressividade.

Quando os miomas causam infertilidade?

Conforme o local em que se instalam, os miomas podem fazer parte do quadro de infertilidade. Os submucosos, por exemplo, podem ser causa de abortamento de repetição. É importante ressaltar, porém, que nem sempre a mulher com mioma uterino precisa de tratamento para engravidar. Às vezes, eles são tão pequenos que não atrapalham absolutamente em nada e não provocam sintomas. São revelados geralmente pela ultrassonografia e demandam o que se chama de tratamento expectante, isto é, o que se limita a observar a evolução do quadro.

Há um tamanho pré-determinado do mioma?

O tamanho do mioma é variável, dependendo da gravidade do problema. Uns são pequenos como um grão de feijão; outros, grandes como uma bola de basquete. Em algumas situações, o aumento do tamanho do abdome pode ser tão evidente que simula uma gestação de vários meses.

Quais são os Sintomas do mioma?

  • Geralmente, o primeiro sintoma é o aumento do fluxo menstrual. Nos quadros de infertilidade, quando a mulher vai pesquisar a causa, a presença de um mioma uterino isoladamente explica 5% dos casos, portanto uma incidência muito baixa, e de 15% a 20% quando associado a outras entidades, como endometriose ou moléstia inflamatória pélvica aguda, por exemplo.
  • Outro sintoma importante é o aumento do volume abdominal. Às vezes, mulheres magras parecem grávidas por causa do aumento do abdômen provocado pelo crescimento do mioma.
  • Dor pélvica é mais um sintoma frequente.
  • Além disso, a compressão do mioma sobre a bexiga pode confundir-se com os sintomas das infecções urinárias e, sobre o reto, provocar alterações do trato gastrintestinal, levando à prisão de ventre, retenção de gases e intestino preso
  • Sangramentos leves fora do período menstrual, ou ciclos menstruais mais intensos e longos.
  • Dores nas pernas e pélvis.
  • Dores durante o ato sexual.
  • Dificuldade para engravidar ou abortos espontâneos.
  • A severidade dos sintomas está relacionada com o número, o tamanho e a localização dos miomas.
  • Dor (cólicas).
  • Menstruação irregular – forte e por períodos prolongados – o que pode levar à anemia.
  • Infertilidade e até abortamentos.
  • Pode haver também dor ao urinar.
  • O sangramento vaginal é outro sintoma bastante frequente. Sangramento fora de hora (entre uma menstruação e outra).
  • Problemas urinários (vontade mais frequente de urinar, infecção do trato urinário, cistite, infecção dos rins).

Quais os tipos de tratamento para os miomas

As diversas formas de tratamento dos miomas dependem de fatores como idade da paciente, tipo e intensidade dos sintomas, desejo de gestação, tamanho e localização dos nódulos. Dentre os principais tipos de tratamento, devemos destacar três:
 - Tratamento de mioma clínico - Acompanhamento clínico através de exames periódicos nas pacientes sem sintomas. é baseado na administração de hormônios, sejam eles orais, injetáveis ou de implante subcutâneo. Sabe-se que o mioma se “alimenta” de hormônios e quando administra-se inibidores o mioma tende a reduzir sua atividade, diminuir de tamanho e minimizar seus sintomas. O problema é que o uso prolongado de hormônios têm seus efeitos nocivos. Além disso, quando se suspende a medicação os miomas voltam a crescer rapidamente e os sintomas voltam ainda mais fortes.
 - Tratamento medicamentoso - visando à diminuição do tamanho dos miomas ou controle dos principais sintomas.
 - Tratamento cirúrgico – Tudo dependerá do tamanho e localização do mioma. Mas, em geral, o tratamento é cirúrgico. O tratamento cirúrgico de mioma é baseado em três procedimentos: 
  •  Cirurgia de mioma – miomectomia: a miomectomia é a retirada cirúrgica do mioma (foto), que pode ser feito por um corte na barriga ou por videolaparoscopia. Apesar de ser uma técnica muito bem feita pelos ginecologistas, 1 a cada 3 mulheres não conseguem engravidar após a miomectomia, e como complicações observamos lesões de bexiga, intestino e ureter e as transfusões sanguíneas não são incomuns. 
  •  Cirurgia de histerectomia - A histerectomia é a retirada cirúrgica do útero. Quando se trata de uma doença benigna como a miomatose, a retirada de um órgão viável é algo que não concordamos. O útero além de sua função reprodutiva tem um papel na feminilidade, funções hormonais e é fundamental para o organismo feminino. . A retirada do útero pode causar transtornos à vida ativa da mulher já que este órgão é responsável pelo orgasmo e pela feminilidade. Por isso converse com seu médico ginecologista ou médico radiologista intervencionista e veja se a embolização de mioma não é uma alternativa, já que preserva o útero.No Brasil são realizadas cerca 200 mil histerectomias por ano, muitas delas por miomatose uterina, situação que deve ser evitada a qualquer custo.
  • Tratamento de embolização de mioma - Sem cortes e cicatrizes: A embolização uterina é a mais inovadora técnica para o tratamento do mioma. A embolização uterina é realizada por um especialistas em Radiologia Intervencionista.
  • Ultrassom focalizado e guiado por ressonância magnética - Também é uma  nova arma utilizada contra os miomas. A paciente deita-se na mesa de ressonância e, quando o médico aplica o ultrassom, as ondas são direcionadas para uma região específica do tumor, em que a temperatura aumenta até 90ºC, destruindo o tecido. Estudos estão sendo realizados para avaliar para quais casos esse método é eficaz. O ultrassom é promissor principalmente por prevenir complicações que às vezes ocorrem em uma cirurgia aberta. Mesmo assim, ele não é indicado para todos os casos. O número de tumores, seu tamanho e sua localização precisam ser considerados em uma avaliação prévia. Sem contar que seu custo ainda é alto e algumas pacientes não toleram ficar muito tempo dentro da máquina de ressonância magnética. Por fim, é importante avisar que nem sempre a técnica evita um processo cirúrgico posterior. Isso porque outros miomas podem surgir em quem tem predisposição a desenvolver o problema.

O que é embolização?

É um método que se aplica há mais de 15 anos e consiste em privar de sangue os miomas. Dessa forma eles não conseguem se alimentar e acabam por morrer. Para isso um pequeno tubo plástico (cateter) é colocado nas artérias que levam sangue para os miomas e microesferas apropriadas são injetadas para entupir intencionalmente estes vasos. Como o mioma é “alimentado” por sangue, o corte desse suprimento por meio da embolização leva à morte do mioma. A técnica da embolização uterina é realizada sob anestesia local através da punção de uma artéria da virilha e, com cateteres muito finos, “entope-se” as artérias que irrigam o mioma com pequenas esferas. Após dois ou três ciclos menstruais, a paciente passa a menstruar normalmente. O período de internação é de 24 horas, não há cortes ou cicatrizes, e a paciente pode voltar rapidamente às suas atividades. Além disso, a função uterina é mantida e a gravidez pós-embolização uterina é hoje uma rotina.

Em quais casos é recomendado o procedimento cirúrgico?

Em casos de miomas submucosos (dentro do útero), sempre se recomenda a retirada do mioma por histeroscopia (uma cirurgia na qual colocamos uma câmera de vídeo por dentro do útero, sem cortes externos). No caso dos demais miomas (intra-murais e subserosos), a cirurgia estará reservada aos casos com muitos sintomas ou em miomas de grande volume.

Qual o grau de sucesso da embolização de mioma?

A embolização uterina pode ser realizada com sucesso em quase 100% dos casos. Algumas vezes surgem situações mais desafiadoras, como acontece em mulheres que têm uma cirurgia pélvica prévia ou têm variações anatômicas vasculares ou uma patologia vascular associada. Mas a experiência e o treinamento do especialista em radiologia intervencionista, aliado aos recursos tecnológicos que a medicina moderna oferece, permitem resolver a maioria dos casos. Pesquisas feitas sobre a embolização de mioma podem ser resumidas da seguinte maneira:
  • 9 em cada 10 mulheres que tinham sangramento intenso voltam a ter menstruações normais
  • 9 em cada 10 mulheres que tinham dor provocada por miomas relatam desaparecimento dos sintomas
  • O tamanho do útero e dos miomas regridem em até 50% três meses após a embolização uterina e em até 90% um ano após.
  • Os efeitos provocados pela embolização são permanentes, o que raramente torna necessário algum procedimento terapêutico adicional.

 Pacientes que podem fazer embolização

Toda mulher que tem mioma no útero e apresenta sintomas desconfortáveis é potencialmente candidata a fazer uma embolização, independentemente da quantidade, tamanho e/ou localização dos nódulos de mioma. Raramente existem situações desfavoráveis que não possam ser tratadas com a embolização uterina. Algumas mulheres requerem uma abordagem apropriada e por isto costumamos dividir as pacientes em quatro grupos:
 - Pacientes que se encontram próximas da menopausa;
 - Pacientes que já foram submetidas à miomectomia e voltaram a apresentar sintomas;
 - Pacientes com desejo de manter a fertilidade;
 - Pacientes que já entraram na menopausa e usam tratamento de reposição hormonal. 
É importante mencionar que, mesmo que a embolização não produza os resultados desejados, esta raramente inviabilizará ou provocará qualquer complicação que por ventura possa comprometer a realização do tratamento cirúrgico convencional caso este seja necessário. É por isso que a embolização uterina deve ser sempre considerada como a ferramenta terapêutica inicial para os miomas de útero.

Há tratamentos que “secam” o mioma? Como atuam sobre esse tumor?

As medicações que diminuem o tamanho do mioma podem ser usadas, mas sempre antes de um procedimento cirúrgico, para diminuir o nódulo e ajudar na cirurgia. Além das medicações (que induzem a um estado semelhante a uma menopausa), outro tratamento é a embolização dos miomas, cujo um cateter é colocado até a artéria que irriga o mioma onde é realizada uma embolização daquele vaso, ou seja, é interrompido o fluxo de sangue para o mioma e com isso há redução do tumor, evitando a cirurgia em alguns casos. No entanto, este tratamento é indicado principalmente para mulheres com contra-indicações cirúrgicas ou que já tiveram filhos e não desejam mais ter filhos.

Toda mulher pode desenvolver mioma?

Sim. Após os 50 anos de idade a chance de ter um mioma é de 50% entre as mulheres.

Este tipo de tumor pode interferir na fertilidade?

Pode, dependendo da localização. Nesses casos, quando forem submucosos ou intramurais de grande volume ou localizados perto das trompas, devem ser operados.

Há algum tratamento preventivo? O aparecimento dos miomas pode ter origem genética?

Infelizmente não existe nenhum tratamento preventivo. A transmissão é genética.

Quando e por que o mioma pode levar à retirada do útero?

Atualmente, somente se retira o útero em mulheres que já não pretendem mais ter filhos e com miomas de grande volume ou muito sintomáticos. Por exemplo, mulheres com úteros aumentados semelhantes a gestações de 5 meses para cima tem indicação para a retirada do útero.

Como prevenir?

  • A realização de exames periódicos e a consulta frequente a um médico ginecologista são medidas que auxiliam muito no diagnóstico, na prevenção e no tratamento de diversas doenças, portanto, adquira este hábito.
  • Além disto, a prática de exercícios físicos ajuda a diminuir a quantidade de estrógeno no corpo humano. Consequentemente, a possibilidade de surgimento de um mioma fica reduzida.
  • Controlar o peso e manter uma alimentação saudável também são fatores que influem nesta prevenção.
  • Parar de  fumar e consumir bebidas alcoólicas moderadamente – ou até mesmo nenhuma, que é o melhor para você.
  • Esteja sempre de olho nos sinais que seu corpo envia. Caso algo esteja errado, consulte um médico o quanto antes.

Os miomas voltam após uma Miomectomia?

Uma vez que os miomas são retirados numa cirurgia de miomectomia eles não voltam. Portanto, a “volta” dos miomas é um termo incorreto. O correto é falar sobre o aparecimento de novos miomas ou, tecnicamente falando, recidiva dos miomas. Apesar de novos miomas poderem crescer depois de uma miomectomia, a maioria das mulheres não necessitará de um tratamento adicional. Se a primeira miomectomia é realizada por um mioma único, apenas 11% das mulheres precisam ser submetidas a uma nova cirurgia dentro dos próximos 10 anos. Se a primeira miomectomia for realizada por múltiplos miomas, cerca de 26% das mulheres terão uma cirurgia subsequente em 10 anos. Mas o risco de uma nova miomectomia é ainda menor em mulheres que se aproximam da menopausa, isto porque não há tempo suficiente para que novos miomas apareçam até que a mulher entre na menopausa. Portanto, é muito incomum que uma mulher submetida a uma miomectomia após os 40 anos necessite de um novo tratamento para os miomas uterinos.
Após uma cirurgia de miomectomia, miomas podem ser encontrados numa ultra-sonografia de rotina. Muitas vezes, o achado destes miomas após uma cirurgia está relacionado ao fato do cirurgião não ter tido o cuidado de remover o máximo de miomas possível. Um estudo revelou que 29% das mulheres haviam miomas remanescentes vistos à ultra-sonografia após uma cirurgia de miomectomia. No entanto, vale ressaltar que muitas cicatrizes no útero podem mimetizar um mioma ao ser vista numa ultra-sonografia realizada com menos de 3 meses após a cirurgia. Em outros casos, o número de miomas muito pequenos é tão grande que se torna extremamente difícil remover todos eles sem prejuízo a fertilidade e sem risco a preservação do útero.
Embora a ultra-sonografia realizada após a miomectomia encontre miomas, muitos deles são tão pequenos e não causam nenhum sintoma, não justificando qualquer tratamento, sendo recomendado apenas o acompanhamento periódico. Um estudo, por sinal, muito citado por ginecologistas para encorajar as mulheres a fazerem uma histerectomia (retirada do útero) ao invés de uma miomectomia, encontrou miomas maiores do que 1,0 centímetro em 51% das mulheres em até 5 anos após uma miomectomia. Bem, 51% parece ser um número bastante significativo, mas é muito importante lembrar que poucas mulheres vão requerer um tratamento adicional neste período.
O que poderia aumentar ou diminuir o risco de novos miomas surgirem após uma miomectomia? Um estudo revelou que o parto foi o único fator que diminuiu o risco de novos miomas surgirem. Após 10 anos, novos miomas foram encontrados em 16% das mulheres que deram a luz após a miomectomia e em 28% das mulheres que não tinham dado a luz. O risco de novos miomas surgirem também aumenta com o número de miomas retirados numa cirurgia. Não porque o cirurgião tenha deixado muitos miomas, mas por conta de uma predisposição genética maior para o aparecimento de novos miomas.
Outra questão a ser levantada é o uso dos análogos do GnRH (por exemplo: Zoladex, Lupron) como preparo pré-operatório da cirurgia de miomectomia. Os análogos do GnRH diminuem o volume dos miomas, o que pode tornar mais difícil a identificação e a retirada de pequenos miomas durante a miomectomia. Um estudo demonstrou que, após a cirurgia de miomectomia, 63% das mulheres tratadas com análogo do GnRH tinham pequenos miomas vistos a ultra-sonografia, contra apenas 13% das mulheres que não foram tratadas com análogo do GnRH.
Portanto, diante das evidências, se a justificativa para retirar o seu útero for o fato dos miomas voltarem, questione. Pergunte e discuta com seu médico a real indicação do procedimento proposto. Se preferir, procure uma segunda opinião. E, pese na relação custo-benefício todos os motivos para preservar ou não o seu útero.


att: Rita de Souza & Engrácia Souza
Reflexão: "Não procure ser o melhor, mas sim o mais simples. Porque até a maior árvore começa do chão."

                                   CASCAS & RAÍZES DA AMAZÔNIA
                                           CNPJ:11.816.307/0001-81 www.facebook.com/CascasERaizesDaAmazonia veja todos os nossos produtos e preços acessando o link: www.ritadesouza.wix.com/saudedamulher Quaisquer dúvidas ou informações ligue: Fixo: Oi (91)3771-4894 ou 3618 - 2045 *Celulares:(91)8988 - 7076 Tim / 8488-8730 Claro / 9639 - 9095 Oi

OVULAÇÃO

Qual o melhor DIA DA OVULAÇÃO

Para engravidar é preciso que um espermatozoide encontre um óvulo. Para que isso ocorra, é necessário haver relações sexuais próximo ao momento em que a mulher está ovulando.

Sem a realização de exames médicos, como a ultrassonografia dos ovários, é impossível descobrir o dia exato da ovulação. Entretanto, existem maneiras de se tentar estimar este dia. Sabemos que a ovulação ocorre 14 dias antes da próxima menstruação. Isto significa que se o primeiro dia da nova menstruação foi em 28 de Maio, a ovulação ocorreu no dia 14 de Maio. Portanto, se a mulher tiver ciclos muito regulares, ela consegue estimar quando virá a próxima menstruação. Para saber o dia da ovulação basta subtrair 14 dias. Nas mulheres com ciclos irregulares, que num mês menstrua com 35 dias no outro com 28, é impossível estimar o dia da ovulação.

Antes, durante e depois de ovular a mulher pode perceber algumas diferenças em seu organismo e, com a ajuda dessas pistas biológicas, saber qual é o momento mais propício para engravidar.

"Os primeiros sinais aparecem quando os folículos uma espécie de cápsula que abriga os óvulos até que eles estejam amadurecidos começam a se formar. A partir daí, a mulher já passa por algumas mudanças", explica Edward Carrilho, especialista em reprodução humana da clínica Engravida, de São Paulo. Isso é um indicativo de que o período fértil da mulher está prestes a se iniciar.

Você está no período fértil.
SINAIS

Secreção vaginal
A secreção vaginal é o primeiro indício de que o período da ovulação está chegando. Essa pista aparece quando os folículos começam a se formar. Nessa fase, a cápsula libera um hormônio chamado estradiol, que é o responsável pela secreção.

"Essa secreção é um mecanismo de lubrificação que auxilia a entrada nos espermatozoides no canal vaginal", esclarece o médico. "Portanto, quando começa a preparação para o período fértil, a mulher vai perceber esse líquido na vagina, que pode se assemelhar com a clara de ovo crua", conta.

Temperatura
Durante o período fértil, a temperatura do corpo da mulher também sofre uma leve alteração. Se for medida da maneira correta, essa elevação de temperatura pode ser percebida e tida como mais um indício de ovulação.

Para descobrir o momento da ovulação, a mulher, assim que entra no período fértil, precisa medir diariamente sua temperatura. A medição tem que ser feita logo que ela acordar (o que é chamado de temperatura basal). O ideal é que ela nem se levante da cama.

De acordo com Carrilho, as mudanças na temperatura são mínimas, mas perceptíveis se feitas da maneira correta. "Quando a temperatura tiver uma leve queda e, no dia seguinte, se elevar é um sinal do momento da ovulação. Depois do quarto dia de medições mais altas, o período fértil termina", diz.

A temperatura se eleva porque, quando os folículos liberam os óvulos, junto deles vem um hormônio chamado progesterona. Esse hormônio é o responsável por essa pequena alteração.

Aumento da libido e do apetite
A progesterona é um hormônio que só é produzido durante a ovulação. E, além de elevar a temperatura do corpo, ela aumenta o desejo sexual da mulher.

Quando isso acontece, o organismo já está ovulando, pois a progesterona só é liberada quando os óvulos amadureceram e já saíram da sua "casa" - os folículos. Além de mais desejo sexual, a mulher também sente mais fome quando o nível de progesterona está mais alto.

Dor pélvica
No pico de todos esses "sintomas", algumas mulheres podem ter uma dor pélvica. Segundo o médico, essa dor é a indicação concreta de que ela está ovulando.

De acordo com Carrilho, os óvulos não sobrevivem muito tempo, em média de 12 a 48 horas. "O espermatozoide sobrevive por mais tempo. Portanto, se a mulher mantiver relações sexuais, sem métodos contraceptivos, logo nos primeiro sinais, ela pode engravidar. Porque o espermatozoide ainda pode estar vivo no momento da ovulação."

att: Rita de Souza & Engrácia Souza
Reflexão:
 "Não procure ser o melhor, mas sim o mais simples. Porque até a maior árvore começa do chão." 

                                      CASCAS & RAÍZES DA AMAZÔNIA
                                                CNPJ:11.816.307/0001-81 www.facebook.com/CascasERaizesDaAmazonia veja todos os nossos produtos e preços acessando o link: www.ritadesouza.wix.com/saudedamulher Quaisquer dúvidas ou informações ligue: Fixo: Oi (91)3771-4894 ou 3618 - 2045 *Celulares:(91)8988 - 7076 Tim / 8488-8730 Claro / 9639 - 9095 Oi

Dismenorreia

Dismenorreia ou cólica menstrual é uma dor forte na região do ventre, que ocorre antes ou durante o período menstrual. É mais comum em jovens embora pode acometer mulheres acima dos 40 anos.


Dismenorréia primária e dismenorréia secundária

Existem dois tipos de dismenorreia, a primária e a secundária e a diferença entre ambas tem relação com a origem da cólica.
Na dismenorreia primária as prostaglandinas, substâncias produzidas pelo próprio útero são as responsáveis pela cólica menstrual. Neste caso a dor existe sem haver qualquer tipo de lesão uterina.
Ocorre nos ciclos menstruais normais, podendo cessar ou reduzir por volta dos 20 anos mas em alguns casos só após a gravidez.
A dismenorréia secundária está relacionada com doenças como endometriose, miomas uterinos, infecção, e anormalidades na anatomia do útero ou da vagina.
Outra causa da dismenorréia secundária pode ser o uso de dispositivo intra-uterino (DIU) como método anticoncepcional.

Como tratar a dismenorréia

Para tratar a dismenorréia recomenda-se o uso de medicamentos analgésicos e antiespasmódicos como o Atroveran e o Buscopan, por exemplo.
Algumas mulheres beneficiam-se em colocar uma bolsa térmica de gel morna sobre o ventre. Relaxar, evitar fazer esforços, e não usar roupas apertadas são algumas outras sugestões que podem trazer o alívio da dor.

att: Rita de Souza & Engrácia Souza
Reflexão:
 "Não procure ser o melhor, mas sim o mais simples. Porque até a maior árvore começa do chão." 

                                CASCAS & RAÍZES DA AMAZÔNIA
                                           CNPJ:11.816.307/0001-81 www.facebook.com/CascasERaizesDaAmazonia veja todos os nossos produtos e preços acessando o link: www.ritadesouza.wix.com/saudedamulher Quaisquer dúvidas ou informações ligue: Fixo: Oi (91)3771-4894 ou 3618 - 2045 *Celulares:(91)8988 - 7076 Tim / 8488-8730 Claro / 9639 - 9095 Oi

Endometriose

É uma doença caracterizada pela existência de endométrio, tecido que reveste a cavidade uterina, fora

do útero.
 

Quando isso ocorre, pode haver comprometimento de diversos tecidos e órgãos, entre os quais ovários, peritônio, ligamentos úteros sacros (entre o útero e o reto), região retro cervical (atrás do colo do útero), septo reto vaginal, reto/sigmoide, intestino delgado (íleo terminal), apêndice, bexiga e ureteres.

É uma doença ginecológica comum, atingindo entre 5% a 15% das mulheres no período reprodutivo e até 3% a 5% na fase pós-menopausa. Estima-se que o número de mulheres com o problema seja de sete milhões nos EUA e de mais de 70 milhões no mundo. Em países industrializados, é uma das principais causas de hospitalização ginecológica.


att: Rita de Souza & Engrácia Souza
Reflexão:
 "Não procure ser o melhor, mas sim o mais simples. Porque até a maior árvore começa do chão." 

                                        CASCAS & RAÍZES DA AMAZÔNIA
                                                   CNPJ:11.816.307/0001-81 www.facebook.com/CascasERaizesDaAmazonia veja todos os nossos produtos e preços acessando o link: www.ritadesouza.wix.com/saudedamulher Quaisquer dúvidas ou informações ligue: Fixo: Oi (91)3771-4894 ou 3618 - 2045 *Celulares:(91)8988 - 7076 Tim / 8488-8730 Claro / 9639 - 9095 Oi

Hidrossalpinge

 Causas, Sintomas e Tratamentos


  ela é relativamente silenciosa, mas quando o diagnostico vem, milhões de pensamentos vem a cabeça. Afinal de contas algumas vezes o sonho de ser mãe pode depender exclusivamente de um diagnostico correto e de um tratamento adequado com
bons profissionais por se tratar de uma doença não tão frequente entre as mulheres.
Poucas pessoas sabem da existência dessa doença que pode acometer os ovários,


A hidrossalpinge nada mais é do que um acúmulo de líquidos nas trompas ou em apenas uma delas. Normalmente esse liquido está ali presente por uma infecção que aconteceu na região, por fatores bacterianos ou uma doença sexualmente transmissível como clamídia ou sífilis por exemplo que podem ter sido responsáveis por essa inflamação.
Os problemas que a hidrossalpinge traz são alguns e todos eles podem impedir que a gravidez ocorra. A trompa fica dilatada e essa dilatação pode interferir no processo de fecundação do espermatozoide com óvulo, já que é na trompa que a fertilização acontece. A hidrossalpinge também pode ocasionar uma obstrução da tuba, fazendo com que o óvulo não possa descer e nem o espermatozoide possa subir. É a tal trompa obstruída, mas nem todos os casos de trompas obstruídas são por conta de hidrossalpinge, alias a obstrução da trompa pode ser resolvida com um pequeno procedimento
.
O liquido presente na trompa por conta da hidrossalpinge também pode ser um fator que possa atrapalhar na hora da implantação do embrião caso a fecundação tenha ocorrido na trompa saudável.

Há estudos que revelaram que esse liquido cai no fundo do útero, ou mesmo no fundo de saco de Douglas e faz com que a nidação seja dificultada. Caso a implantação ocorra, outro fator pode atrapalhar uma gravidez saudável, o liquido poderia ser tóxico para o feto causando um aborto.

A relação da trompa dilatada com a quantidade de liquido secretado estão diretamente ligados a aderência, quanto mais inchada, mais liquido ela secreta e mais grave pode se tornar. Caso a hidrossalpinge seja secretora, o procedimento que faça com que o liquido pare de cair na cavidade uterina cesse as chances de uma gravidez natural se torna muito maior, sem necessidade efetivamente de uma FIV, tudo isso vai depender realmente do grau de gravidade do problema.

 Os sintomas podem ser dores abdominais, inchaço e corrimento vaginal de aspecto e cores diferenciadas das habituais para um muco cervical saudável, mas pode sim acontecer de ser assintomática e assim a mulher pode chegar ao diagnóstico apenas quando passa a investigar o motivo da infertilidade. 

O diagnóstico vem através de exames de imagem como a histerossalpingografia e também tomografias uterinas e se for o caso uma videolaparoscopia diagnóstica pode acontecer.

Normalmente o tratamento para esse tipo de problema é a tentativa de desobstrução das trompas, caso esse procedimentos não dê resultado ai a retirada da trompa afetada ou parte dela e via cirurgia, caso as duas trompas sejam afetadas então a retirada seria das duas trompas ou parcialmente, vai depender muito do grau e do nível da doença.

A avaliação de um bom especialista é fundamental para uma boa recuperação e total eliminação do problema, um procedimento bem feito para quem tem o problema em apenas uma das trompas pode levar a uma futura gravidez natural. Caso as duas trompas forem retiradas a gravidez apenas acontecerá por meio de fertilização in vitro.

Claro que antes de qualquer alarde, a mulher portadora da hidrossalpinge deve conversar com o seu médico e ver as verdadeiras condições de saúde das trompas. Se houver necessidade a retirada acontecerá, porém na grande maioria dos casos a eliminação do problema pode ser total e a gravidez decorrerá sem maiores problemas.

Lembre-se de que investigar é muito importante e se o prazo de 1 ano para engravidar esteja esgotado, o casal deve ir ao médico para exames.

att: Rita de Souza & Engrácia Souza 
Reflexão: "Não procure ser o melhor, mas sim o mais simples. Porque até a maior árvore começa do chão." 

                                CASCAS & RAÍZES DA AMAZÔNIA 
                                       CNPJ:11.816.307/0001-81 www.facebook.com/CascasERaizesDaAmazonia veja todos os nossos produtos e preços acessando o link: www.ritadesouza.wix.com/saudedamulher 

Quaisquer dúvidas ou informações ligue: Fixo: Oi (91)3771-4894 ou 3618 - 2045 *Celulares:(91)8988 - 7076 Tim / 8488-8730 Claro / 9639 - 9095 Oi

Trompas Obstruídas

Diversos problemas podem ocasionar a obstrução das trompas uterinas, dentre eles: infecções, 

endometriose, mioma, cirurgias na região abdominal e até algumas patologias, como a tuberculose, e doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como gonorreia. Além disso, aderências na cavidade abdominal também podem afetá-las e provocar algum tipo de obstrução.  ou 
Vale destacar que, no processo de fecundação, as trompas de Falópio têm papel importante, pois por meio delas é possível o encontro entre espermatozoides e óvulo. Ou seja, se houver algum tipo de obstrução ou lesão, a fecundação acaba comprometida e, neste caso, não há a    formação do embrião.

A partir de uma suspeita, exames específicos podem identificar se existe algum tipo de obstrução ou lesão.   A origem do problema, sua gravidade e localização irão direcionar o tipo de tratamento indicado. Em alguns casos, uma microcirurgia pode corrigir e reajustar o seu funcionamento. Isso não impede que ocorra sequencialmente uma gestação ectópica, um tipo de gravidez anormal que ocorre fora do útero e, geralmente, se dá em uma das trompas, mas pode desenvolver-se também no ovário ou no colo do útero. Este tipo de gestação costuma ser interrompida entre seis e 12 semanas.

Também é importante lembrar que, a tentativa de corrigir a obstrução, não é uma garantia de sucesso para a fertilidade. Existem casos em que, após este tipo de procedimento, a paciente não consegue engravidar e acaba sendo encaminhada para a fertilização in vitro (FIV). Se as trompas também estiverem bastante alteradas (espessas e rígidas) e as pregas da mucosa não forem mais tão visíveis, a microcirurgia é descartada, e a FIV é a melhor solução.

Neste caso, a obstrução nas trompas torna-se irrelevante, afinal os óvulos são retirados do ovário e fertilizados (in vitro), ou seja, em laboratório. Assim que ocorre a fertilização, os embriões são
transferidos diretamente para o útero, onde irá ocorrer a gestação de forma natural.

Ainda existe uma possibilidade antes de partir para FIV nossos kits - Saúde das Trompas 90% eficaz na desobstrução.

att: Rita de Souza & Engrácia Souza

Reflexão: "Não procure ser o melhor, mas sim o mais simples. Porque até a maior árvore começa do chão."


                                  CASCAS & RAÍZES DA AMAZÔNIA
                                             CNPJ:11.816.307/0001-81                           www.facebook.com/CascasERaizesDaAmazonia
veja todos os nossos produtos e preços acessando o link: www.ritadesouza.wix.com/saudedamulher Quaisquer dúvidas ou informações ligue: Fixo: Oi (91)3771-4894 ou 3618 - 2045 *Celulares:(91)8988 - 7076 Tim / 8488-8730 Claro / 9639 - 9095 Oi

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Tentando ENGRAVIDAR?

      Temos diversos kits para diferentes causas de infertilidade

Foto: Tentando ENGRAVIDAR?
Temos diversos kits para diferentes causas de infertilidade


att: Rita de Souza & Engrácia Souza Reflexão: "Não procure ser o melhor, mas sim o mais simples. Porque até a maior árvore começa do chão." CASCAS & RAÍZES DA AMAZÔNIA CNPJ:11.816.307/0001-81 www.facebook.com/CascasERaizesDaAmazonia veja todos os nossos produtos e preços acessando o link: www.ritadesouza.wix.com/saudedamulher Quaisquer dúvidas ou informações ligue: Fixo: Oi (91)3771-4894 ou 3618 - 2045 *Celulares:(91)8988 - 7076 Tim / 8488-8730 Claro / 9639 - 9095 Oi

Obrigado JESUS! Quanta honra e glorias devo a ti Ô DEUS de Abraão.

Date: Mon, 20 Oct 2014 17:08:11 -0300
Subject: Gravidinha
From: hannaellen@
To: rita-euqueroengravidar@hotmail.com

Oi Ritinha tudo bem?
Menina vou te fazer muito feliz com a noticia que vou te dar.
Estou GRAVIDA de oito semanas como é possível isso, assim tão rápido. Eu já havia feito duas cirurgias pra retirada do endométrio, minhas trompas tavão coladas, minhas chances eram de 1% segundo minha médica. Eu nem ia mais tentar sabe ritinha, porque fiz uma FIV(negativa) que arrasou comigo. Mas depois que eu li tantos depoimentos lindos no seu face me deu uma sensação tão forte, tão boa que não saia da minha cabeça a ideia de comprar. É bem difícil de acreditar que as ervas medicinais tem o poder de curar. Sei que a Bíblia relata casos como do Rei David e outros. A Fé de Sara e a da Ana também me fortaleceram muito, muito mesmo. Compreendi durante os três meses que me tratei com seus kits( que me deixaram muitas saudades) o quanto foi importante pra trabalhar um pouco a minha ansiedade que até eu mesma não suportava mais tanto desgaste emocional de correr correr e permanecer no mesmo lugar, como se corresse-mos em círculos sabe? E quando os meus kits chegaram dobrei meus joelhos no chão e falei tudo que eu sentia, tudo que já havia chorado e sofrido durante estes oito anos em busca deste sonho, da minha herança com ELE e que eu tinha certeza de que não suportaria mais um fracasso e que não aceitaria outro negativo como resposta Dele. ..Ritinha implorei por misericórdia tais me entendendo? Nesta hora adormeci abraçada aos meus kits, acordei horas depois tão tranquila e dei inicio ao meu tratamento.
Não sou mais uma árvore seca como todos achavam, não sou mais aquela mulher triste que derramava rios de lagrimas cada vez que via uma grávida.
Ritinha sabes como me sinto hoje?
Como Sara!

Fica a dica e espero que tenhas entendido.
Um imenso beijo no seu coração e que DEUS continue abençoando não só a você como também a sua filha e o seu trabalho lindo que aprendi a admirar e respeitar.

Atenciosamente
Hana E.Gusmão

Foto: Obrigado JESUS!
Quanta honra e glorias devo a ti Ô DEUS de Abraão.

Date: Mon, 20 Oct 2014 17:08:11 -0300
Subject: Gravidinha
From: hannaellen@
To: rita-euqueroengravidar@hotmail.com

Oi Ritinha tudo bem?
Menina vou te fazer muito feliz com a noticia que vou te dar. 
Estou GRAVIDA de oito semanas como é possível isso, assim tão rápido. Eu já havia feito duas cirurgias pra retirada do endométrio, minhas trompas tavão coladas, minhas chances eram de 1%  segundo minha médica. Eu nem ia mais tentar sabe ritinha, porque fiz uma FIV(negativa) que arrasou comigo. Mas depois que eu  li tantos depoimentos  lindos no seu face me deu uma sensação tão forte, tão boa que não saia da minha cabeça a ideia de comprar. É bem difícil de acreditar que as ervas medicinais tem o poder de curar. Sei que a Bíblia relata casos como do Rei David e outros. A Fé de Sara e a da Ana também me fortaleceram muito, muito mesmo. Compreendi durante os três meses que me tratei com seus kits( que me deixaram muitas saudades) o quanto foi importante pra trabalhar um pouco a minha ansiedade que até eu mesma não suportava mais tanto desgaste emocional de correr correr e permanecer no mesmo lugar, como se corresse-mos em círculos sabe? E quando os meus kits chegaram dobrei meus joelhos no chão e falei tudo que eu sentia, tudo que já havia chorado e sofrido durante estes oito anos em busca deste sonho, da minha herança com ELE e que eu tinha certeza de que não suportaria mais um fracasso e que não aceitaria outro negativo como resposta Dele. ..Ritinha implorei por misericórdia tais me entendendo? Nesta hora adormeci abraçada aos meus kits, acordei horas depois tão tranquila e dei inicio ao meu tratamento.
Não sou mais uma árvore seca como todos achavam, não sou mais aquela mulher triste que derramava rios de lagrimas cada vez que via uma grávida.
Ritinha sabes como me sinto hoje? 
Como Sara!

Fica a dica e espero que tenhas entendido.
Um imenso beijo no seu coração e que DEUS continue  abençoando não só a você como também a sua filha e o seu trabalho lindo que aprendi a admirar e respeitar.

Atenciosamente
Hana E.Gusmão


att: Rita de Souza & Engrácia Souza Reflexão: "Não procure ser o melhor, mas sim o mais simples. Porque até a maior árvore começa do chão." CASCAS & RAÍZES DA AMAZÔNIA CNPJ:11.816.307/0001-81 www.facebook.com/CascasERaizesDaAmazonia veja todos os nossos produtos e preços acessando o link: www.ritadesouza.wix.com/saudedamulher Quaisquer dúvidas ou informações ligue: Fixo: Oi (91)3771-4894 ou 3618 - 2045 *Celulares:(91)8988 - 7076 Tim / 8488-8730 Claro / 9639 - 9095 Oi

SEM PALAVRAS! Depoimento de uma tentante

Patricia Helena Editar Contato 03:27 Sinalizar esta mensagem
Para: Rita de Souza-91 3618-2045
euqueroengravidar@gmail.com

Bom Dia flor, estou sem sono e um pouco nervosa tentei escrever diversas vezes meu testemunho e acho que agora ficou bom.

Consegui finalmente o que mais desejei na vida, prometi a Deus que se meu Milagre acontecesse eu nunca mais pediria nada a Ele, e hoje descobri que tem uma vidinha dentro de mim. Flor estou tão feliz que me faltam palavras para explicar este sentimento misturado a risos e lágrimas, perdoe-me. Quando me recordo de todas as humilhações que suportei não apenas dos médicos que me diziam que eu não ia conseguir sem que fizesse uma inseminação, por conta da endometriose e o sop cada diagnostico que vinha em mim como esterilidade eu dizia não aceito! Fui humilhada pela minha sogra, fui humilhada pelas minhas cunhadas, por algumas amigas e até por alguns parentes do meu próprio sangue e gritei: Socorre-me ô meu Deus porque não sei por quanto tempo vou suportar, ajuda-me depressa pois min'alma ta desfalecendo. Flor quando resolvi buscar outros recursos e passei a pesquisar sobre endometriose vieram suas garrafas e imaginei, é possível meu Deus?! Será esta a tua resposta? Quando te enviei o e-mail através do blog que recebi o retorno eu disse: ALELUIA, meu coração se encheu de júbilo, mas quando comentei com meu marido ele logo me chamou de louca! Então decidi comprar sem que ele soubesse e sem pedir nenhum centavo a ele,sou funcionária publica e meu salario é razoável graças a Deus.
Nosso casamento já não estava bom, as coisas só iriam piorar.Então realizei minha compra com o endereço de uma amiga que me deu total apoio, fiz tudo escondido. Meu marido não suspeitou de nada. Quando terminei todo o tratamento tive medo de perder tudo pois ele já nem me procurava mais e eu precisava reverter a situação pois era com ele que eu planejava ter meu bebê. Comprei os testes de ovulação e comecei a monitorar minha temperatura basal e a observar o muco .
Quando entrei no meu período fértil que vi aquele muco enorme e elástico, sai do serviço mais cedo preparei uma noite super especial a luz de velas com direito a tudo e me entreguei a ele como nunca havia feito em dez anos, foi com certeza a noite mais bonita de toda a minha vida e no outro dia logo cedo flor,veio o descontentamento; ele me chamou e disse que estava indo embora, que não dava mais e que já tinha tomado essa decisão a algum tempo.
Eu fiquei calada, não tive ação ou reação nenhuma! O choque foi tão grande que virei estátua. E ele foi embora no mesmo dia, no dia seguinte o irmão passou pra pegar as coisas dele. Imaginei minha vida inteira com ele, jamais imaginei que isso aconteceria e me perguntei: Onde foi que nos perdemos?
Ele ainda não sabe que estou grávida, sei que terá que saber mais cedo ou mais tarde. Vou ter que decidir isso depois, não quero que ele volte apenas pelo bebê, se tiver que voltar terá que ser por mim.
Independente desta situação quero que saiba flor que sou a mamãe mais boba do mundo. Não quero passar nem um pouquinho de tristeza pra este serzinho que hoje com apenas cinco semaninhas mudou definitivamente a minha vida por completo.
O inverno que outrora se tornara parte do meu ser, hoje se fez primavera em min"alma trazendo-me toda a luz que necessitava!

Eu não poderia deixar de agradecer e compartilhar com você minha felicidade.Não se preocupe comigo estou ótima e seu "netinho(a)" terá o melhor de mim, prometo visita-la quando ele(a) estiver pronto para viajar e conhecer a "vovó Rita nossa Anja"rsrsrs.
Agradeça a sua filha por mim dê a ela o nosso abraço sincero.

Obrigado,beijos
Patricia Helena

Foto: SEM PALAVRAS!
Depoimento de uma tentante

Patricia Helena  Editar Contato  03:27   Sinalizar esta mensagem  
Para: Rita de Souza-91 3618-2045
euqueroengravidar@gmail.com

Bom Dia flor, estou sem sono e um pouco nervosa tentei escrever diversas vezes meu testemunho e acho que agora ficou bom. 

Consegui finalmente o que mais desejei na vida, prometi a Deus que se meu Milagre acontecesse eu nunca mais pediria nada a Ele, e hoje descobri que tem uma vidinha dentro de mim. Flor estou tão feliz que me faltam palavras para explicar este sentimento misturado a risos e lágrimas, perdoe-me. Quando me recordo de todas as humilhações que suportei não apenas dos médicos que me diziam que eu não ia conseguir sem que fizesse uma inseminação, por conta da endometriose e o sop cada diagnostico que vinha em mim como esterilidade eu dizia não aceito! Fui humilhada pela minha sogra, fui humilhada pelas minhas cunhadas, por algumas amigas e até por alguns parentes do meu próprio sangue e gritei: Socorre-me ô meu Deus porque não sei por quanto tempo vou suportar, ajuda-me depressa pois min'alma ta desfalecendo. Flor quando resolvi buscar outros recursos e passei a pesquisar sobre endometriose vieram suas garrafas e imaginei, é possível meu Deus?! Será esta a tua resposta? Quando te enviei o e-mail através do blog que recebi o retorno eu disse: ALELUIA, meu coração se encheu de júbilo, mas quando comentei com meu marido ele logo me chamou de louca! Então decidi comprar sem que ele soubesse e sem pedir nenhum centavo a ele,sou funcionária publica e meu salario é razoável graças a Deus. 
Nosso casamento já não estava bom, as coisas só iriam piorar.Então realizei minha compra com o endereço de uma amiga que me deu total apoio, fiz tudo escondido. Meu marido não suspeitou de nada. Quando terminei todo o tratamento tive medo de perder tudo pois ele já nem me procurava mais e eu precisava reverter a situação pois era com ele que eu planejava ter meu bebê. Comprei os testes de ovulação e comecei a monitorar minha temperatura basal e a observar o muco .
Quando entrei no meu período fértil que vi aquele muco enorme e elástico, sai do serviço mais cedo preparei uma noite super especial a luz de velas com direito a tudo e me entreguei a ele como nunca havia feito em dez anos, foi com certeza a noite mais bonita de toda a minha vida e no outro dia logo cedo flor,veio o descontentamento; ele me chamou e disse que estava indo embora, que não dava mais e que já tinha tomado essa decisão a algum tempo. 
Eu fiquei calada, não tive ação ou reação nenhuma! O choque foi tão grande que virei estátua. E ele foi embora no mesmo dia, no dia seguinte o irmão passou pra pegar as coisas dele. Imaginei minha vida inteira com ele, jamais imaginei que isso aconteceria e me perguntei: Onde foi que nos perdemos?
Ele ainda não sabe que estou grávida, sei que terá que saber mais cedo ou mais tarde. Vou ter que decidir isso depois, não quero que ele volte apenas pelo bebê, se tiver que voltar terá que ser por mim.
Independente desta situação quero que saiba flor que sou a mamãe mais boba do mundo. Não quero passar nem um pouquinho de tristeza pra este serzinho que hoje com apenas cinco semaninhas mudou definitivamente a minha vida por completo. 
O inverno que outrora se tornara parte do meu ser, hoje se fez primavera em min"alma trazendo-me toda a luz que necessitava!

Eu não poderia deixar de agradecer e compartilhar com você minha felicidade.Não se preocupe comigo estou ótima e seu "netinho(a)" terá o melhor de mim, prometo visita-la quando ele(a) estiver pronto para viajar e conhecer a "vovó Rita nossa Anja"rsrsrs.
Agradeça a sua filha por mim dê a ela o nosso abraço sincero.

Obrigado,beijos 
Patricia Helena




att: Rita de Souza & Engrácia Souza Reflexão: "Não procure ser o melhor, mas sim o mais simples. Porque até a maior árvore começa do chão." CASCAS & RAÍZES DA AMAZÔNIA CNPJ:11.816.307/0001-81 www.facebook.com/CascasERaizesDaAmazonia veja todos os nossos produtos e preços acessando o link: www.ritadesouza.wix.com/saudedamulher Quaisquer dúvidas ou informações ligue: Fixo: Oi (91)3771-4894 ou 3618 - 2045 *Celulares:(91)8988 - 7076 Tim / 8488-8730 Claro / 9639 - 9095 Oi